23 de fev de 2016

voltando a caminhar

Hoje uma amiga postou a seguinte frase
A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar
(Eduardo Galeano)
e eu acidentalmente parei aqui, nesse blog velho, de palavras velhas, de uma velha eu, lendo sobre meus velhos passeios entre a vida e a fé. Eu li aqui que
meus passos são firmes porque um dia Ele resolveu que todos Seus filhos viveriam a sensação de ultrapassar a linha de chegada
e lembrei que
not all those who wander are lost
(J.R.R.Tolkien)
De repente, pensei em minha própria caminhada. Desde minhas últimas palavras aqui, andei por muito chão. Teve chão gostosinho, macio, verdinho e florido, teve chão de pedra, duro e frio, teve momentos em que nem mesmo tive chão. Teve chão sujo de mim, sujo por mim, limpo depois, quebrado, consertado, cicatrizado, renovado. Teve chão de tudo que é tipo na minha caminhada. Aliás, também teve corrida, arrastar de pés, rastejar de barriga, desistência, recomeço, trote leve, trote pesado. Teve até nado (ou nada).  

Eu não sou mais a mesma. Eu pisei na bola, enchi a bola, furei a bola, comprei outra bola. Eu saí de casa, fiquei rebelde, fiquei sem pão, fiquei sem trabalho, fiquei sem faculdade, mas também fiquei com faculdade, fiquei com comida gostosa tipo mc donald, fiquei com estágio, fiquei numa boa. Só  não posso dizer que fiquei perdida. 

Se uma esperança me manteve sã, e por sã quero dizer viva, foi a esperança de não estar perdida. Nem todo que vagueia está perdido, disse o Tolkien. Eu ouço (leio) tudo que o Tolkien fala (escreveu), por que não ouviria (leria) isso? Eu não estava, não poderia estar, não queria estar perdida. Eu preferia pensar que estava me construindo. Desconstruída, recolocando os alicerces. Duvidando do que achava certo, acreditando no que achei errado. Pensando no que julgava sentimento, sentindo. Sentindo. Perdida, não. À procura. E no meio dessa procura eu me encontrei. Olha só o absurdo! Pouca gente tem a chance de se encontrar, assim, tão rápido. Afinal, a procura não durou uma vida. Durou só algum tempo. E aí entra a segunda citação do dia, eu percebi que um passo que já foi firme, quando tropeça e cai, ainda lembra como caminhar, ainda sabe como recomeçar. Desde então, a vida ficou mais leve, mais fácil, mas plana. 

Eu ainda não sou uma ótima andarilha. Ainda erro mais do que acerto, ainda choro, ainda caio, mas sorrio bastante e levanto com um pouco mais de frequência. E agora, entra a terceira citação do dia (que ironicamente foi a primeira que li, a que começou toda essa explosão de pensamento e sentimento aqui). Por que eu caminho? Aliás, por quem eu caminho? Eu, pecadora, perdedora, erradora (eu sei, eu inventei essa palavra, mas esse bloguinho velho tem que ter uma palavra nova, né?), no ápice da minha crise, nunca deixei de caminhar. E ainda tô aqui, gastando o tênis. Eu nunca perdi a esperança. Ao contrário do que eu disse pra minha amiga, que postou a frase, um dia desses (amiga, quem é você pra falar sobre sair desse mundo ideal?), eu também não sou alguém. Eu vivo atrás de utopias, de mundos ideais. Talvez tenha sido isso que tenha me feito continuar em frente. Mas se é utópico, é inalcançável. Só que através dessa busca pelo que não posso alcançar, uma coisa me alcançou: a graça. E eu sou grata porque hoje o que julguei utópico, não mais o é: a completude.
Se eu encontro em mim um desejo que nenhuma experiência desse mundo possa satisfazer, a explicação mais provável é que eu fui feito para um outro mundo.
C.S.Lewis
mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. 
Se estou completa? É claro que não. Ainda não. Mas, como esperançosa que sou, já me sinto como se fosse. Logo serei...

15 de jun de 2012

"eles serão como valentes

... que na batalha pisam aos pés os seus inimigos na lama das ruas; pelejarão, porque o Senhor está com eles; e confundirão os que andam montados em cavalos."
Zacarias 10:5

sabe aquelas promessas que você recebeu de Deus, aquelas experiências que marcaram tremendamente sua vida? sim, aquelas mesmo, que com o tempo você acaba esquecendo, ou naqueles dias de humor oscilante (ou tpm, se você for mulher) acaba dizendo: 'isso não é pra mim', 'era coisa da minha cabeça'.
então.

esse versículo do título foi meu versículo 'de cabeceira' praticamente toda minha adolescência, porque a promessa que Deus me deu foi a de ser guerreira, de ser valente.
 c s lewis disse, em o príncipe caspian: "não é engraçado como, dia após dia, nada nunca muda, mas, quando você olha para trás, tudo está diferente?"

nossa vida é assim, e nossa vida com Deus também.
minha vida sempre pareceu a mesma, eu sempre fui dessa forma, cheia de coisas no coração, sempre fui retardada de alegre, sempre chorei muito mesmo assim, sempre li muito, sempre questionei muito também; parece que sou a mesma desde sempre. mas se eu olho detalhadamente, deixando o geral de lado, meus medos mudaram, meus sorrisos mudaram, meus sonhos mudaram, meus livros mudaram, com o tempo meus relacionamentos mudaram, e eu nunca ouvi exatamente a mesma coisa de Deus, mesmo com Ele sempre falando comigo.

e eu acho lindo olhar pra trás e ver que tudo ficou diferente.
acho feio olhar pra trás e ver que muitas vezes eu disse não pro que Deus queria.
mas acho lindo demais olhar novamente e perceber que Ele me deu novas chances.

e o que eu não quero mais é deixar o que Deus fez e faz na minha vida passar despercebido ou ser esquecido. eu quero ser, diariamente, um lembrete do que Deus tem pra fazer, quero ser, todos os dias, resposta da misericórdia e da graça de Deus.

isso é tudo que eu quero, porque é tudo que eu preciso.


O QUE VOCÊ QUER?

30 de jan de 2012

exclusivo? quero não.

oi galere, como estão? como toda universitária mediana, estou aproveitando minhas férias, acordando de tarde e indo dormir de manhã.
         sabe aquelas epifanias que todo escritor tem? hoje, aleatoriamente toda uma reflexão caiu pronta na minha mente e queria compartilhá-la com vocês (afinal, esse é o intuito maior desse blog, partilhar e crescer!)

                                exclusividade.
                                                      todo mundo quer, todo mundo busca.

nós, mulheres, somos loucas por toda peça de roupa que é única; nós, pessoas, batalhamos a vida toda por uma vida que poucos têm, de tranquilidade e regalias; exclusivo em si é um termo que traz bons produtos, boas oportunidades e bons momentos.

mas, o que significa exclusivo?
exclusivo vem de excluir. excluir aquilo que não é especial, importante. excluir aquilo que não é bom o suficiente.
                 lógico que é legal termos a oportunidade de deixar só aquilo que é melhor pra nós na nossa vida. esse é o espírito da coisa: saber discernir, saber decidir, separar o joio do trigo, afinal, implicações sem fim surgem na nossa vida por causa das nossas escolhas. mas esse não é meu foco hoje.

como igreja de Cristo, como geração eleita, sacerdócio real, nação santa e povo adquirido (1Pe 2.9), será que não temos esquecido o fim do versículo? sim, aquele pequeno restinho que diz "para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz"?

- somos a igreja de Jesus, aquele Jesus que comia e bebia com ladrões, assassinos, bêbados, que era odiado pelo religiosos porque não era EXCLUSIVO, mas INCLUSIVO. somos a perpetuação do convite que Jesus era e ainda é para aqueles que não o conhecem, somos os construidores da ponte que leva até Cristo.

eu não quero viver uma vida exclusiva. quero ser como Jesus, que foi inclusivo até o fim. quero que minha vida seja um convite aberto àqueles que precisam ser amados, que precisam de oração, que precisam de uma caixa de leite, que precisam de Jesus.

me entristece o coração ver como nós, às vezes deixamos de abençoar alguém porque estamos fechadinhos no nosso mundo, nos nossos problemas. fico mal porque às vezes, inconscientemente, não dou nem um bom dia ou mesmo sorrio pras pessoas que passam ao meu lado. como podemos perder tantas chances de amar, tão fácil? amar é uma atitude simples demais pra que nosso ego não o permita. uma igreja viva, daquela que faz Jesus vibrar lá do céu, é uma igreja que olha pra todas as direções e não fica parada.


um grupo de cristãos que foram à parada gay em chicago mostrou um cartaz com a seguinte frase: "nos desculpem pela forma como a igreja tem tratado vocês", isso é ser inclusivo.
quem quer ser inclusivo como Ele foi? 

27 de out de 2011

amar, pura e simplesmente

dê um bombom pra alguém no ônibus; um trocado pro tio que toca violão; um sorriso pra tia da limpeza; pinte a unha da sua irmãzinha, ensine seu irmão a jogar videogame; lave a louça pra sua mãe; divida seu lanche, doe sua mesada, faça a diferença.

são pequenas atitudes que mudam o mundo.


25 de out de 2011

"sem fé...

...meus passos não têm chão, sem fé tateio a escuridão buscando me apoiar, mas nada irei achar se não houver mais fé"... isso diz o @eduardomano e eu concordo totalmente.

sabe quando você sente que desde que acordou não fez nada certo? sabe quando você sente que não tem mais esperança?

às vezes acho que não faço nada certo e que Deus se envergonha de mim. mas lembro que não há nada que eu faça que O faça me amar mais... ou menos. 
Se eu testifico de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro. Há outro que testifica de mim, e sei que o testemunho que ele dá de mim é verdadeiro. 
                                                                                                    João 5:31-32
eu jamais serei justa comigo... mas Ele sempre será.
só se eu deixar Ele dizer quem eu sou serei livre.. de opiniões, de julgamentos, de aparência. 
se eu confiar Nele alguma coisa já estarei fazendo de certo.

23 de out de 2011

muda tudo, muda eu.

oi galera, quem quer me matar pelos meses que fiquei longe daqui? ninguém, eu sei, ninguém lê meu blog, hehe.
bom, passei por vááááárias mudanças nos últimos tempos:
mudei de ministério, mudei meus horários da faculdade, mudei o projeto do estágio, mudei meu cabelo, mudei minha internet etc.
e como covarde acomodada que sou, morri de medo de mudar!
medo do novo projeto não dar certo, do novo cabelo não agradar, da internet não ser melhor que a antiga, de não passar nas matérias restantes, de não me sentir parte do ministério de jovens.

tanta coisa nos influencia durante a infância e adolescência... os brinquedos que passam no comercial da nick, as figurinhas do chiclete, o lanche que o amiguinho leva pra escolinha, os amigos que nos mostram o que é colar, ou os que nos fazem virar nerd e saber tudo sobre jogos. e quando a gente entra na faculdade! nossa, é tudo muito novo. amigos de outros estados, com sotaques legais, churrascos que não têm carne e nos deixam horrorizados, as bandas universitárias que a gente aprende a conviver... as pessoas com princípios diferentes, religiões exotéricas... noooooossa!
                             mas a bíblia diz em Rm 12.2:
não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.
tanta coisa tenta mudar a gente o tempo todo, tantas situações surgem fazendo com que a gente deva se adequar... mas tenho aprendido que
                           mudanças são legais, quando não mudam o que Jesus representa pra nós.
tô cheia de expectativas pro futuro, mas sei que enquanto eu deixar que Jesus me transforme, quem Ele é pra mim vai continuar sendo a melhor certeza da minha vida.

18 de jul de 2011

O QUE VOCÊ FARIA SE TIVESSE APENAS MAIS UM MÊS DE VIDA? [2]

Como viver de forma abundante?

Será que é tendo dinheiro abundante, sendo abundantemente inteligente, saindo pra abundantes festas, pegando abundantes gatinhos (as), bebendo e comendo numa mesa abundante, descansando um tempo abundante, (poderia falar abundantes coisas aqui ainda)..? Hein? 
Comer, namorar, festar, ter dinheiro, dormir... tudo isso é muito bom (na hora, circunstância e lugares certos), mas com o tempo a gente descobre que existem algumas coisas, geralmente as que fazem parte do nosso eu, da nossa essência, que nos trazem muito mais 'MAIS' na vida. Anh?  
Já reparou que quanto mais velhas as pessoas ficam, mais desprendidas se tornam? Começam a cuidar menos da aparência, começam a viver muito mais de lembranças do que de tentativas... Falam de conquistas  mas não têm mais aquela super sede de conquistar... Isso nos induz a pensar que há alguma coisa maior do que a correria que vivemos, os troféus que almejamos, não induz? 
Esse MAIOR tem mais a ver com coisas pequenas do que com as grandes.
Esse MAIOR tem mais a ver com corações do que com objetos.

Nossa conversa é justamente sobre como alcançá-lo:
Primeiramente, pra conseguir uma vida abundante, é preciso ter uma vida apaixonada
Lucas 12.34 diz "Porque onde estiver o seu tesouro, ali estará o seu coração".
 A partir do momento em que colocamos tesouros que realmente sejam importantes no nosso baú, colocamos pedras preciosas no coração. 
- Talvez um relacionamento finalmente constante com Deus, talvez um relacionamento restaurado ou amizades fortes, laços duradouros. Buscar o ter nunca é suficiente, mas buscar o ser pode te satisfazer e te apaixonar.
- Quem sabe uma reavaliação de suas prioridades? Quem sabe deixar crescer aquelas coisas que te tornam melhor? Quem sabe parar de reclamar tanto do trabalho e passar mais tempo fazendo o que te acalma: cozinhar, ler um bom livro, navegar a toa pela internet, dormir, passear com o cachorro? 

Para viver apaixonadamente é preciso apenas amar a vida. Pense nisso.

Assim, comecei a esfregar-me,

e as escamas começaram a cair de todos os lados. Raspei ainda mais fundo e, em vez de caírem as escamas, começou a cair a pele toda, inteirinha, como depois de uma doença ou como a casca de uma banana. Num minuto, ou dois, fiquei sem pele. Estava lá no chão, meio repugnante. Era uma sensação maravilhosa. Comecei a descer à fonte para o banho. Quando ia enfiando os pés na água, vi que estavam rugosos e cheios de escamas como antes. “Está bem”, pensei, “estou vendo que tenho outra camada debaixo da primeira e também tenho de tirá-la”. Esfreguei-me de novo no chão e mais uma vez a pele se descolou e saiu; deixei-a então ao lado da outra e desci de novo para o banho. E aí aconteceu exatamente a mesma coisa. Pensava: “Deus do céu! Quantas peles terei de despir?” Como estava louco para molhar a pata, esfreguei-me pela terceira vez e tirei uma terceira pele. Mas ao olhar-me na água vi que estava na mesma. Então o leão disse (mas não sei se falou): “Eu tiro a sua pele”. Tinha muito medo daquelas garras, mas, ao mesmo tempo, estava louco para ver-me livre daquilo. Por isso me deitei de costas e deixei que ele tirasse a minha pele. A primeira unhada que me deu foi tão funda que julguei ter me atingido o coração. E quando começou a tirar-me a pele senti a pior dor da minha vida. A única coisa que me fazia agüentar era o prazer de sentir que me tirava a pele. É como quem tira um espinho de um lugar dolorido. Dói pra valer, mas é bom ver o espinho sair. (LEWIS, C. S.)

9 de jun de 2011

O QUE VOCÊ FARIA SE TIVESSE APENAS MAIS UM MÊS DE VIDA? [1]

 Hoje, nos deparamos com um fato inquestionável – nossa vida e nosso tempo na terra são limitados, nossos dias aqui estão contados e cada minuto que passa vai embora para sempre sem qualquer chance de retorno. Se você soubesse que tem apenas 30 dias para viver, o que você faria? Viveria de maneira diferente? O que mudaria? Seria mais autêntico? Como gastaria esse tempo? E então, o que nos impede de viver diferente agora? Precisamos nos conscientizar de que não podemos deixar para trás os propósitos e o estilo de vida que Deus tem para nós.

A vida abundante é uma promessa de Deus que pode e deve ser vivida desde a nossa juventude, pois é nessa fase que podemos experimentar com toda intensidade e sem arrependimentos tudo o que Ele tem preparado para nós (Eclesiastes 12:1 - "Lembra-te também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento")
É hora de vivermos um novo estilo de vida, contando os nossos dias como se fossem os últimos!

MAS COMO?

eu tenho o direito de,

ficar estressada, ficar triste, ficar com raiva, brigar com os amigos nos dias de mais stress, de não querer saber de nada e de querer jogar tudo pro ar.  tenho o direito de querer explodir o mundo, de querer me explodir e de não querer continuar.
MAS,
a Bíblia diz que devemos nos humilhar diante da potente mão de Deus lançando sobre Ele as nossas ansiedades porque Ele pode cuidar de nós. [1Pe5.6~7], ou seja, sentir emoções é natural do ser humano, mas quando estamos debaixo da cobertura do Senhor, nossas emoções não são mais importantes do que nossas atitudes. Como Filhos devemos dar testemunhos de Filhos e não adianta ficar se descabelando ou murmurando a cada luta, porque 'crente' nunca fica em paz! o inimigo tá sempre querendo fazer com que a semente que temos plantado em nossos corações não germine, e pra isso tenta arrancar o que nos traz crescimento, que é o nosso posicionamento.
~ hoje estava ouvindo uma música que dizia 'quero te encontrar, cumprir a tua vontade, é o desejo do meu coração  [...] e o meu direito é  não ter direito algum, me entregar e te servir', e nela Deus falou bastante comigo [de novo] sobre dar testemunho através das minhas atitudes. Uma forma de conhecer alguém é analisando sua postura no cotidiano, no futebol, na forma como trata as pessoas, e a gente que vive falando do amor de Deus e o que Jesus nos fez na cruz não pode cair em besteiras como essa! Devemos estar prontos pra qualquer situação, qualquer luta para que possamos testemunhar com mais uma vitória!


- eu tenho o direito de descontar minhas emoções de muitas formas e sempre que precisar, mas quer saber?
eu entrego esse direito pra Deus,


e você?

19 de mar de 2011

17 de fev de 2011

hoje eu falei de Jesus

estava andando de bicicleta, enquanto orava pedindo ousadia ao Senhor quando Ele me parou na frente de uma lanchonete, me mostrou uma mesa, e disse: vai lá, testa sua intrepidez. parei na frente da lanchonete como quem descansa depois de um longo passeio de bike, esperei o garçom atender a família, fingi me alongar e fui. pedi licença. disse que estava andando de bicicleta quando senti que deveria dizer à eles que Jesus os ama e que tem um propósito maravilhoso pra cada uma daquelas vidas. disse que poderia parecer estranho, do nada dizer isso, mas que eu tinha a certeza de que era da parte do Senhor. e resolvi que vou me esforçar pra falar de Jesus pra pelo menos uma pessoa quando andar de bike!

porque hoje eu comecei a deixar Deus agir na minha vergonha. deixei Ele começar a tirar minhas barreiras pra cumprir o que, eu sei, é o meu chamado. hoje eu decidi perder minha vida. e perder com gosto se for preciso, porque eu quero ver o Céu ficando mais cheio.

Quem acha a sua vida a perderá, e quem perde a sua vida por minha causa a encontrará.

e você? tá esperando o quê pra falar de Jesus?

29 de jan de 2011

estatística: um em cada dez.

dez leprosos. todos curados. um agradecido.

E, entrando numa certa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez homens leprosos, os quais pararam de longe; E levantaram a voz, dizendo: Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós. E ele, vendo-os, disse-lhes: Ide, e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, indo eles, ficaram limpos. E um deles, vendo que estava são, voltou glorificando a Deus em alta voz; E caiu aos seus pés, com o rosto em terra, dando-lhe graças; e este era samaritano. E, respondendo Jesus, disse: Não foram dez os limpos? E onde estão os nove? Lc 17.11-19

Ele traz cura ao doente. Traz casa ao desabrigado. Traz família ao solitário. Sabedoria ao tolo. Traz perdão ao impuro. Libertação ao cativo. Força ao fraco. Jesus traz salvação ao perdido. 
A única coisa que Ele quer é um coração humilde. Humilde pra declarar que Ele é a solução,  para assumir que nada é possível sem a ajuda do Senhor e tão humilde que mesmo em meio ao problema louva e agradece pela Sua graça e misericórdia. Então:

Seja humilde o suficiente pra receber os presentes de Jesus e voltar pra agradecer.

31 de dez de 2010

2010 está no fim,

   passei por muitas situações bem legais com Ele dignas de um post por aqui desde outubro, mas a correria com o fim do semestre e depois a correria de assistir todos os filmes que não vi durante o ano, andar de bicicleta, voltar a tocar teclado, dormir o máximo possível e comer como uma orca nessas férias, me impediram de escrever e postar. ME PERDOEM, SE PUDEREM! hahaha! 
 ---------------------------------------------------------------------------------------------*-
   bom, mas como 2011 está chegando percebi a urgência em escrever algumas coisas que Deus tem compartilhado comigo. lembra, no começo do ano quando escrevi sobre tempo de crescer? então, quero concluir falando sobre... a chácara do meu pai
OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOPA! quê?
então, meu pai comprou uma chácara esse ano... digamos que é um pedacinho de terra onde ele planta o que quer! eu amo ir lá, porque toda vez que vou Deus fala comigo! não sei porquê sei sim isso acontece! a chácara é um sonho antigo dele, e desde o começo ele cuida de tudo com tanto apreço, que a gente se enche de amor também. e é muito legal ver como, quando a gente anda por ela e eu só vejo mato, ele vê cada planta, cada pé-de-não-sei-o-quê de uma forma especial... como se ele fosse o criador... porque ele é.  
e falando das plantas, no começo, quando tudo tava pequenininho, quando era tudo mudinha, ele falava: olha amanda, aqui tem milho, aqui feijão, aqui fruta-do-conde, aqui jabuticaba (chácara sem jabuticabeira não é chácara!), aqui tomate, aqui alface, aqui amora, aqui pitanga, aqui, aqui, aqui... hoje, já tem pé de milho do dobro do meu tamanho, a jabuticabeira tá grandona,  tem coisas que não vingaram apesar do grande cuidado do meu pai: a fruta-do-conde não deu certo, a maçã não deu certo e tem coisas que precisaram de adubo pra dar certo. conosco não seria assim? nosso Criador nos vê como plantas e cuida de todas as nossas necessidades, mas às vezes, em algumas áreas, a gente não cresce de jeito nenhum, apesar de todo Seu esforço! e aí Ele entra com o adubo, que não parece legal, porque é dejeito vegetal, mas que pode fazer toda diferença! o adubo que Ele usa em nossas vidas às vezes é dolorido, às vezes vem com um tempo de vale, mas sabe o que eu aprendi? 
 - as árvores não crescem no topo dos montes, mas nos vales entre eles!
esse ano foi especial por causa disso. passei por muitas situações difíceis, tive que lidar com separações, com reprovações, mas aprendi coisas valiosas em cada uma delas, que trouxeram MUITO crescimento! hoje sou mais madura, mais aprendida e mais decidida do que no começo do ano. 

e ano que vem, bom, está aí batendo na porta já! então, 
FELIZ ANO NOVO PRA TODOS VOCÊS!
beijão, Amanda Frois.